Gestão do Centro Xingó

A gestão do Centro Xingó de Convivência com o Semiárido é realizada de maneira compartilhada e participativa por meio de um Comitê Gestor, com interação continuada junto à comunidade acadêmica e com a participação da comunidade beneficiária.

O Comitê Gestor tem como função disciplinar as atividades do Centro Xingó, sua organização e competências, garantindo a transparência nas ações, na participação em decisões compartilhadas e no acompanhamento de suas ações e atividades. A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas (SEAGRI/AL) e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS) são responsáveis pela gestão técnica e secretaria executiva do Centro respectivamente. Participam no Comitê Gestor o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA),  a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) e a Prefeitura Municipal de Piranhas/AL.

Para a realização das ações do Centro, foram estabelecidas parcerias com várias outras instituições locais, nacionais e internacionais, que também trabalham em prol do desenvolvimento sustentável do semiárido.

COMITÊ ACADÊMICO/CIENTÍFICO

O Comitê Acadêmico/Científico possui função consultiva e orienta as atividades de geração e disseminação do conhecimento por meio da pesquisa e inovação no Centro Xingó. As atividades supervisionadas por esse órgão estão relacionadas à iniciação científica e inovação, apoio ao pesquisador, seminários, cursos e capacitações, além de publicações sobre o trabalho desempenhado no Centro.

O Comitê é gerido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL) e sua secretaria executiva é feita pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS). Nele participam a Rede ILPF, o Instituto Nacional do Semiárido (INSA), o Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (CDS/UnB), o Instituto Federal de Alagoas (IFAL), o Centro de Innovación en Tecnología para el Desarollo Humano da Universidade Politécnica de Madri (itd/UPM), a VP Centro de Nutrição Funcional, a Universidade Federal do Cariri (UFCA), o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NIDES/UFRJ) e a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas (SEAGRI/AL).