O Semiárido Brasileiro

A área que corresponde ao Semiárido brasileiro tem quase 1 milhão de quilômetros quadrados (IBGE, 2017¹), abrangendo nove estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Trata-se  de um extenso território equivalente a, aproximadamente, um quinto do território brasileiro, onde caberiam a França e a Alemanha, por exemplo.

Com cerca de 23 milhões de habitantes e mais de mil municípios, correspondendo a 42,6% da população do Nordeste e a cerca de 12% da população (SOUZA ET AL., 2012²), a área possui a maior população do mundo concentrada numa região semiárida.

O termo “semiárido” é utilizado nas zonas sujeitas a períodos cíclicos de secas, onde não é a falta de chuva que o caracteriza, mas, sim, a chuva irregular no tempo e no espaço (SUASSUNA, 2002³). Assim, o Semiárido brasileiro é conhecido pela diversidade cultural, mas também pelos longos períodos de seca.

A dimensão territorial, o regime de chuvas e a distância das fontes de água permanentes localizadas no semiárido são algumas das razões para o cenário de escassez de água na região, fenômeno que atinge principalmente os moradores das zonas rurais que se encontram territorialmente dispersos. Tal fato dificulta a implementação de um sistema público de abastecimento e distribuição de água eficaz. Além disso, o solo na região é predominantemente raso e encontra-se sobre rochas cristalinas, dificultando a perenidade dos rios.

Para combater esse cenário, a melhor estratégia é a promoção de boas práticas e de tecnologias sociais, que assegurem uma produção sustentável, a segurança alimentar, hídrica e energética, conservando as paisagens e gerando renda para as famílias.

¹ IBGE. Áreas Especiais: Cadastro de Municípios localizados na Região Semiárida do Brasil. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/semiarido.shtm?c=4>.
Acesso em: outubro 2017.
² SOUSA MEDEIROS, S. et al. Sinopse do Censo demográfico para o Semiárido Brasileiro. Campina Grande: INSA, 2012.
³ SUASSUNA, J. Semiárido: proposta de convivência com a seca, 2002. Disponível em: <http://www.fundaj.gov.br/>. Acesso em: março 2015.